O papel docente frente aos problemas decorrentes do uso das tecnologias digitais nos anos iniciais do Ensino Fundamental

Resumo

O presente artigo tem como objetivo investigar como os docentes do Ensino Fundamental 1 de uma escola pública analisam os problemas do uso das tecnologias digitais no contexto escolar e como atuam para a minimização da problemática. Trata-se de uma pesquisa de caráter exploratório, de cunho qualitativo, na qual foram coletados dados e informações a partir da elaboração de um questionário, contemplando questões acerca da temática, e uma análise documental do Projeto Político Pedagógico no que se refere aos recursos tecnológicos da instituição. Nos resultados, constatou-se que, mesmo com o aporte teórico nos apresentando a importância do uso das TD na sala de aula, ainda existem limitações no entorno escolar, as quais envolvem fatores como a falta de recursos e o desuso destes em consequência da falta de preparo inicial e continuado dos professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Abranches, S. (2019). Prefácio. In.: Nunes, A.; Ferrete, A.; Pimentel, F. Transformações do presente: experiências com a tecnologia para a educação do futuro. Curitiba: CRV.

Bartolo, M. G. (2020). Recursos tecnológicos e ensino de língua inglesa: uma pesquisa-ação no contexto do estágio supervisionado. Pesquisa e Ensino, 1, e202041. https://doi.org/10.37853/pqe.e202041

Brasil (2017). Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, DF.

Buckingham, D. (2012). Precisamos realmente de educação para os meios? Revista do curso Gestão da Comunicação. São Paulo. p. 41-60. Disponível em: www.revistas.usp.br Acesso em: 20 de jan 2020.

Canaan, M.; Ribeiro, L.; & Paolla, Y. (2017). Tecnologias digitais e influências no desenvolvimento das crianças. Universidade, Ead e Software.

Castells, M. (2008). Creativity, innovation and digital culture: a map of interactions. Telos. Cuadernos de Comunicación e Innovación, n. 77. Castellón, L.; & Jaramillo, Ó. Educación y videojuegos: Hacia un aprendizaje inmersivo. Revista Latinoamericana de Comunicación. CIESPAL, marzo de 2012, núm. 117, p. 11-19.

Chassot, A. (2007). Educação conSciência. Santa Cruz do Sul: Edunisc.

Costa, S.R.S.; Duqueviz, B. C; & Pedroza, R. L.S. (2015). Tecnologias Digitais como instrumentos mediadores da aprendizagem dos nativos digitais. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, SP. Volume 19, Número 3, Setembro/Dezembro de 2015, p. 603-610.

Da Silva, A. V. M. (2019). Apropriação tecnológica e cultura digital: usos na/da internet. Revista Observatório, v. 5, n. 3, p. 276-292.

Freire, E. C. L. (2019). Intervenção pedagógica e os benefícios das tecnologias em sala de aula. Revista Eletrônica de Educação do Norte de Mato Grosso, v. 3, n. 1, p. 170-185.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Gomes, S. S. (2013). Brincar em Tempos Digitais. Revista Presença Pedagógica - Diálogo entre Universidade e Educação Básica para Formação do Professor. Seção Presença Infantil. Belo Horizonte, n. 113, p. 44-51. set./out.

Gomes, S. S. (2016). Infância e Tecnologias. In: COSCARELLI, Carla Viana. (Org.). Tecnologias para aprender. 1ª ed. São Paulo: Parábola Editorial, p. 145- 158.

Guareschi, P. A.; & Biz, (2005). O. Mídia, educação e cidadania. São Paulo: Vozes.

Habowki, A.C.; Cannavô, V. B; & Conte, E. (2018). Reflexões sobre a autoridade pedagógica e a cultura digital. Rio Grande do Sul. Disponível em: http://editora.pucrs.br/acessolivre/anais/cidu/assets/edicoes/2018/arquivos/60.pdf. Acesso em: 24 de Jan 2020.

Públio Júnior, C. (2018). Formação docente frente às novas tecnologias: desafios e possibilidades. Campo Grande, MS, V. 24, n° 47, p. 189-210. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/intm/article/view/5910. Acesso em: 24 de Jan 2020.

Leite, W.S.S.; & Ribeiro, C.A.N. (2012). A inclusão das TICs na educação brasileira: problemas e desafios. Revista Internacional de Investigación en Educación, 5 (10), 173-187.

Leonel, A. A., Gomes, N., Koerich, V., & Schwertl, S. L. (2019). A Formação de Professores na Perspectiva da Mídia Educação. Revista ENCITEC, 9(1), 15-30.

Pimentel, F. S. C. (2017). A aprendizagem das crianças na Cultura Digital. 2. ed. rev. Edufal: Maceió.

Pimentel, F. S. C., Silva Júnior, L. F. da, & Cardoso, O. A. de O. (2020). Ações e estratégias educacionais em tempo de pandemia. Interfaces Científicas - Educação, 10(1), 93-109. https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v10n1p93-109

Prensky, M. (2001). Digital Natives Digital Immigrants. On the Horizon, 9(5). Acesso: 25 jan 2020. Disponível: https://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20- %20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf

Rocha, J. D. T.; Nogueira, C. DA R. M. (2019). Formação docente: uso das tecnologias como ferramentas de interatividade no processo de ensino. Revista Observatório, v. 5, n. 6, p. 578-596, 1 out. 2019.

Santos, E. (2020). Desafios da cibercultura na era da mobilidade: Os docentes e seus laptops 3G. Revista Educação e Cultura Contemporânea, 7(14), 27-42.

Scolari, C. A. (org.). (2013). Homo Videoludens 2.0. De Pacman a la gamification. Laboratori de Mitjans Interactius. Universitat de Barcelona. Barcelona.

Teixeira, C. M., & Vasconcelos-Raposo, J. (2019). Em busca por novos rumos na formação de professores. PsychTech & Health Journal, 3(1), 1-3.

Valente, J. A. (1998). Formação de professores: diferentes abordagens pedagógicas. In.: Valente, J. A. (org.). O computador na sociedade do conhecimento, 131-142. Brasília: Ministério da Educação. Disponível em: http://www.fe.unb.br/catedraunescoead/areas/menu/publicacoes/livros-de-interesse-na-area de-tics-na-educacao/o-computador-na-sociedade-do-conhecimento

Yin, R. K. (2016). Pesquisa qualitativa do início ao fim. Porto Alegre: Penso.

Publicado
2021-01-02
Como Citar
Falcão, R. M., Nascimento, A. S. dos S., & Pimentel, F. S. C. (2021). O papel docente frente aos problemas decorrentes do uso das tecnologias digitais nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Pesquisa E Ensino, 2(2), e202102. https://doi.org/10.37853/pqe.e202102
Seção
Artigos