A história do Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades no bojo da expansão das universidades públicas federais no Brasil

Autores

  • Atanásio Mykonios UFVJM
  • Josélia Barroso Queiroz Lima Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  • Aline Faé Stocco Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

DOI:

https://doi.org/10.53282/sulsul.v2i02.898

Palavras-chave:

expansão universitária, inclusão social, democratização social, desafios

Resumo

Este artigo coloca em análise o processo de expansão da universidade pública brasileira, tendo por referência a experiência da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha (UFVJM) e a condução do curso Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, Campus JK. Diamantina, MG, Brasil. Nele, as(o) autoras (es) refletem sobre os desafios educacionais da interdisciplinaridade e sobretudo, discutem sobre os desafios da inclusão social como condição à democratização social. As (o) autoras(o) ex-coordenadores de curso,  narram as trajetórias e o fazer pedagógico vivido com  os sujeitos sociais que chegam a universidade, homens e mulheres trabalhadores, negros, não hetero normativos, de classe social baixa, apontando para a necessidade de rupturas epistêmicas e a importância do fazer educacional como ato comprometido com a transformação social. Sendo um relato de experiência, o texto registra, descreve, discute os percursos construídos e os obstáculos da educação pública, gratuita e socialmente referenciada num país que, historicamente, nega ao seu povo o direito social a educação. Não obstante, apontam para as múltiplas possibilidades que os ‘corpos dissidentes’ produzem de saberes, de afetos, de conhecimentos quando o diálogo entre a universidade e os que chegam se abre como caminho metodológico e pedagógico, garantindo que as diferenças possam ser reconhecidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Atanásio Mykonios, UFVJM

Possui graduação em Filosofia pela Universidade do Sagrado Coração (2002) e Mestrado em Filosofia Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2006). Doutorado em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2016). Professor Adjunto da Faculdade Interdisciplinar em Humanidades,FIH, no Curso de Bacharelado em Humanidades, BHU, da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, UFVJM. Atua na área de Filosofia e Economia Política e Crítica da Economia Política. Coordenou o Bacharelado em Humanidades de Abril de 2010 a abril de 2012 e atualmente é coordenador do mesmo curso. Fundador do CENTRO DE ESTUDOS EM FILOSOFIA – CEFIL, grupo de pesquisa vinculado ao CNPq e à UFVJM. Fundador do Grupo Crítica Social, desde março de 2005, também vinculado ao CNPq e certificado pela UFVJM, com ênfase no estudo da teoria do valor e do fetiche marxianos, bem como a teoria crítica no desdobramento do marxismo heterodoxo. Desenvolve pesquisas na área do capitalismo e sua crítica – imanência e transcendência, estudos e textos acerca da reprodução do capitalismo. Na atualidade tem desenvolvido estudos na área da Crítica da Necessidade, sustentando uma reflexão acerca da revisão do processo social de produção em consonância com os padrões de consumo e necessidade da sociedade atual produtora de mercadorias e pesquisas na Ética da Mercadoria. Desenvolve pesquisas nas áreas da percepção, antropologia filosófica e cultura. Colaborador do Mestrado Profissional Interdisciplinar em Humanidades, na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri.

Josélia Barroso Queiroz Lima, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Professora Adjunta em Psicologia Social, da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Faculdade Interdisciplinar em Humanidades, Cursos Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades e do Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas/ Políticas Públicas  vinculado ao Programa de Mestrado em Estudos Rurais da UFVJM. Ex-coordenadora do Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades e do Bacharelado Interdisciplinar em Ciencias Humanas/ Políticas Públicas.

Aline Faé Stocco, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Professora Adjunta da Faculdade Interdisciplinar em Humanidades da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, atuando junto ao curso Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas – Políticas públicas, e ao curso de Pós-graduação em Ciências Humanas. Doutora e Mestre em Política Social pela Universidade Federal do Espírito Santo (2013 e 2017) com Doutorado Sanduíche na Universidad de La Habana. Também possui graduação em Ciências Econômicas pela mesma universidade (2004).

Referências

ARRAYO, M. Política educacional e desigualdades: a procura de novos significados. Edu. Soc., Campinas, v. 31, n. 113, p. 1381-1416, out.-dez. 2010.

BAPTISTA, Carolinne Montes et al. O Estado da arte sobre o REUNI. XIII Coloquio de Gestión Universitaria en Américas. 2013 Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/114850/2013278%20-%20O%20estado%20da%20arte%20sobre%20o%20Reuni.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 1 mar de 2021.

FAZENDA, Ivani C. Arantes. A aquisição de uma formação interdisciplinar de professores. In: _____(org.). Didática e interdisciplinaridade. Campinas, SP: Papirus, 2012b.

FAZENDA, Ivani C. Arantes. Interdisciplinaridade: História, teoria e pesquisa. Campinas, SP: Papirus, 2012a.

FRIGOTTO, G. A interdisciplinaridade como necessidade e como problema nas ciências sociais. In: BIANCHETTI. L., JANTSCH. A. Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. Petrópolis: Vozes. 1995.

GOMES, Nilma Lino. O Movimento Negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

hooks, b. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 6 Ed, 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse Estatística da Educação Superior 2019.

Brasília: Inep, 2020. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/basica-censo-escolar-sinopse-sinopse>. Acesso em: 10.02.2021.

LIMA, Josélia Barroso Queiroz. O poder masculino na esfera da universidade pública. Argentina. Revista Eletrônica. Vol.5 No.1. 2018.

Enero – junio.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Resolução CNE/CP nº. 01, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file>. Acesso em: 1 de março de 2021.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Resolução CNE/CP nº. 02, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file>. Acesso em: 1 de março de 2021.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. UFVJM. Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Ciências Humanas. 2019. Disponível em: <http://www.ufvjm.edu.br/prograd/projetos-pedagogicos.html>. Acesso em: 1 de março de 2021.

POMBO, Olga. Práticas interdisciplinares. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 15, jan/jun 2006, p. 208-249.

SANTOS, B. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 9.ed. São Paulo: Cortez, 2003.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A universidade do século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. São Paulo: Cortez, 2004.

SAVIANI, Dermeval. A Expansão do Ensino Superior no Brasil: Mudanças e Continuidades. Poíesis Pedagógica. v.8, n. 2 ago./dez. 2010; p. 4-17.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

Mykonios, A., Barroso Queiroz Lima, J., & Faé Stocco, A. (2021). A história do Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades no bojo da expansão das universidades públicas federais no Brasil. Sul-Sul - Revista De Ciências Humanas E Sociais, 2(02), 232–257. https://doi.org/10.53282/sulsul.v2i02.898