A Presença de Marielle Franco

Arte, Direitos Humanos e Educação para o Feminismo Negro

Autores

  • Leticia Schneider Ferreira IFRS
  • Sandro Gonzaga Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

: Marielle Franco, Direitos Humanos, Feminismo Negro, Ensino e Trabalhos Manuais

Resumo

Marielle Franco é presença indispensável na sala de aula: mulher, negra e oriunda da periferia, sua luta mostra-se um exemplo para diversas crianças, em especial as meninas negras. O presente artigo tem por finalidade refletir sobre a figura de Marielle e sua relação com a defesa dos direitos humanos, outro tópico fundamental para a formação de cidadãos conscientes e participativos. Assim, este estudo também realiza uma reflexão sobre o feminismo negro, demonstrando sua contribuição para o movimento feminista, o qual muitas vezes não deu a devida atenção às legítimas demandas das ativistas negras. Marielle Franco, em sua luta por uma realidade menos excludente e que respeite a diversidade, representa as possibilidades abertas por pensadoras negras, que não silenciam e são ativas na transformação social. Assim, este artigo reflete sobre a abordagem dos direitos humanos e do feminismo negro por meio da história de Marielle Franco, no intuito do empoderamento de meninas negras, muitas vezes oprimidas por uma realidade de violência e marginalização. A utilização de ferramentas educativas como a produção artesanal de almofadas e bonecas pode associar a apreensão de conhecimentos com a possibilidade de estimular a concentração e a autoestima. Artefatos produzidos manualmente e que se embasam na imagem e no pensamento de Marielle Franco poderiam ser um instrumento de difusão do legado de Marielle e de incentivo a outras meninas reconhecerem em si uma potência de transformação social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leticia Schneider Ferreira, IFRS

Doutora em História pela UFRGS (2009/2012), Mestre em Sociologia pelo PPGSOC da UFRGS (2007), Graduada em licenciatura em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007), graduada em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1999) e especialista em Odontologia em Saúde Coletiva pela Associação Brasileira de Odontologia RS (2005).

Sandro Gonzaga, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Licenciatura em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007), graduação em Bacharelado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008), Mestrado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013) e Pós-graduado em Educação para a Diversidade com ênfase em Educação de Jovens e Adultos (2014). Atualmente é docente substituto no IFRS Campus Bento Gonçalves da disciplina de História para o ensino médio , de História da Educação nas Licenciaturas de Física, Matemática e Pedagogia e Pesquisa em Educação nas Licenciaturas em Matemática e Física.

Referências

ALMEIDA, Sílvio. Racismo Estrutural. São Paulo: Polen, 2018. Disponível em http://blogs.uninassau.edu.br/ Acesso em: 06 fev.2021.

ANDRADE, Michely Peres de. Lélia Gonzalez e o papel da educação para o feminismo negro brasileiro. Revista Interritórios, v. 4, n. 6, p. 75-91, 2018.

ALVES, Branca Moreira; PITANGUY, Jacqueline. O que é feminismo. São Paulo: Editora Brasiliense, 2003.

BERTH, Joice. O que é empoderamento? Belo Horizonte: Letramento, 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 5 out,1988. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 01 fev.2020

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências [legislação na Internet]. Brasília; 1990 [citado 2008 mar. 12]. Disponível em: http://www6.senado.gov.br/ legislacao/ListaPublicacoes.action? Id=102414. Acesso em: 06 fev.2021.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: -6 fev.2021.

BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília, DF: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2006. Disponível em http://portal.mec.gov.br/docman/2191-plano-nacional-pdf/file Acesso em: 01 fev.2020.

CARNEIRO, Sueli. Enegrecer o feminismo: a situação da mulher negra na América Latina a partir de uma perspectiva de gênero. Racismos contemporâneos. Rio de Janeiro: Takano Editora, v. 49, p. 49-58, 2003.

COLLINS, Patricia Hill. Aprendendo com a outsider within: a significação sociológica do pensamento feminista negro. Sociedade e Estado, v. 31, n. 1, p. 99-127, 2016.

DAVIS, Ângela. Mulheres, Raça e Classe. 1.d. São Paulo: Boitempo, 2016

FERREIRA, Maria Cristina. Sexismo hostil e benevolente: inter-relações e diferenças de gênero. Temas em psicologia, v. 12, n. 2, p. 119-126, 2004.

GONZALEZ, Lélia. Por um feminismo afro-latino-americano: ensaios, intervenções. RIOS, Flávia; LIMA, Márcia (Orgs.). 1.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

HOOKS, bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. 7. ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019.

MIGUEL, Luis Felipe. Voltando à discussão sobre capitalismo e patriarcado. Revista Estudos Feministas, v. 25, n. 3, p. 1219-1237, 2017.

OLIVEIRA, Natalia Fontes de. Mulheres negras em diáspora: A sororidade nas obras de Toni Morrison. Revell-Revista de Estudos Literários da UEMS, v. 1, n. 24, p. 304-331, 2020.

RIBEIRO, Djamila. Quem tem medo do feminismo negro?1.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

SILVA, José M. da; MACIEL, Ana LG. Casa do Crer-Ser: o ensino do artesanato e a busca pela valorização da cidadania. Anais dos Encontros Nacionais de Engenharia e Desenvolvimento Social-ISSN 2594-7060, v. 9, n. 1, 2012.

Downloads

Publicado

2021-03-29

Como Citar

Schneider Ferreira, L., & Gonzaga, S. . (2021). A Presença de Marielle Franco: Arte, Direitos Humanos e Educação para o Feminismo Negro. Sul-Sul - Revista De Ciências Humanas E Sociais, 1(Especial), 62–83. Recuperado de https://revistas.ufob.edu.br/index.php/revistasul-sul/article/view/833

Edição

Seção

Número Especial 01 (2021) - Marielle Franco Presente!