Sobreviver nunca foi nosso destino

quando um analisador potencializa outros olhares e práticas na intersecção entre a psicologia e a educação

Autores

  • Mariana de Castro Moreira Universidade Federal Fluminense

Palavras-chave:

Psicologia; Educação; Marielle Franco; Subjetividade; Formação universitária.

Resumo

O presente artigo tem como foco discutir alguns dos modos de construção de conhecimento no campo das ciências humanas e sociais e, mais especificamente, na interface entre a Psicologia e a Educação, problematizando as noções de gênero, raça/etnia e diversidade e os efeitos aí engendrados em termos de produção de subjetividades e suas ressonâncias nos processos de formação acadêmica no campo psi. O legado de Marielle Franco – e seu assassinato – são tomados como analisadores do tempo presente uma vez que geram fraturas e rupturas, mas que, ao mesmo tempo, podem potencializar novas análises, novos possíveis, novos fluxos e ciclos de vida. A narrativa e a escrita das nossas histórias são situadas como atos político de resistência e de reexistência que potencializam novos modos de subjetivação. A partir de uma busca por outros modos de produção de conhecimento e de processos formativos não hegemônicos, encontramos no diálogo entre bell hooks e Paulo Freire a educação para uma consciência crítica como possível linha de fuga para enfrentarmos o atual contexto de perda de direitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana de Castro Moreira, Universidade Federal Fluminense

Professora adjunta na Universidade Federal Fluminense - UFF/Rio das Ostras. Doutora (2014) e Mestra (2000) em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Referências

BOCK, Ana Maria. Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia. São Paulo: Saraiva, 2008.

ALBUQUERQUE JUNIOR, Durval Muniz de. A invenção do Nordeste e outras artes. São Paulo: Cortez, 2011.

ALBUQUERQUE JUNIOR, Durval Muniz de. História:a arte de inventar o passado. Bauru, SP: EDUSC, 2007.

FERREIRA, Arthur Arruda Leal. A diferença que nos une: o múltiplo surgimento da psicologia. Rev. Dep. Psicol.,UFF, Niterói , v. 19, n. 2, p. 495-500, Dez. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-80232007000200019&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 06 jan.2021.

FIGUEIREDO, Luís Claudio Mendonça. Psicologia, uma (nova) introdução; uma visão histórica da psicologia como ciência. São Paulo: EDUC, 2003.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FRANCO, Marielle. UPP – A redução da favela a três letras: uma análise da Política de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Administração da Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Turismo da Universidade Federal Fluminense. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2014.

FREIRE, Paulo. Educação ‘bancária’ e educação libertadora In: PATTO, Maria Helena de Souza. (Org.). Introdução à Psicologia escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1997, p. 61-77.

GARCIA-ROZA, Luiz Alfredo. A. Psicologia: um espaço de dispersão do saber. Rádice. Revista de Psicologia.1, n.4 , p.20-26, 1977.

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. Trad. Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 2017.

HOOKS, bell. Erguer a voz: pensar como feminista, pensar como negra. Trad. Catia Maringolo. São Paulo: Elefante, 2019.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Trad. Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos. Trad. Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Ed. 34, 1994.

LATOUR, Bruno. Reagregando o Social: uma introdução à teoria do ator-rede. Salvador-Bauru: EDUFBA-EDUSC, 2012.

LATOUR, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: UNESP, 1999.

LATOUR, Bruno. Reensamblar lo social :una introducción a la teoría del actor-red. Buenos Aires: Ediciones Manatial, 2008.

LAW, John. After method: mess in social science research. London; New York: Routledge. 2004. VIII, 188 p. p. (International Library of Sociology).

LORDE, Audre. Uma litania pela sobrevivência. Trad. Ricardo Domeneck. 1995.

MARQUES, Ivan da Costa; SOUZA FILHO, Rubens Araujo Menezes. Fazendo-medindo a economia do software: Microsoft versus Open Source – dos primeiros encontros até 2005 in REDES, vol. 14, n. 27, Buenos Aires: mayo de 2008, p. 141-162.

MOL, Annemarie. A política ontológica: algumas ideias e várias perguntas. In: NUNES, João Arriscado: ROQUE, Ricardo. (Orgs.). Objetos impuros – experiências em Estudos Sociais da Ciência. Porto: Edições Afrontamento, 2007. pp. 5-38.

MORAES, Márcia ; KASTRUP, Virgínia (Orgs.). Exercícios de ver e não ver: arte e pesquisa com pessoas com deficiência visual. Rio de Janeiro: Nau, 2010.

MOREIRA, Mariana de Castro. “O que foi feito, amigo, de tudo que a gente sonhou?” Uma cartografia da atuação de Organizações da Sociedade Civil no fortalecimento da democracia. Tese de Doutorado em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social. Rio de Janeiro: EICOS/UFRJ: Programa de Pós-graduação em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2014.

SANTOS, Boaventura de Souza (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências revisitado. .2.ed. São Paulo: Cortez, 2006.

SARAMAGO, José. El nombre y la cosa. México: FCE, ITESM, 2006.

SILVA, Marielle Francisco da. Currículo na Plataforma Lattes. Brasília, 2015. Disponível em http://lattes.cnpq.br/9314795985644167 Acesso em 13 mar.2021.

SPINK, Peter. K. Pesquisa de campo de psicologia social: uma perspectiva pós-construcionista. Psicologia & Sociedade; 15 (2): 18-42; jul./dez.2003.

STENGERS, Isabelle. L´invention des sciences modernes. Paris: La Decouverte, 1993.

STENGERS, Isabelle. Quem tem medo da ciência? Ciência e poderes. São Paulo: Siciliano, 1990.

Downloads

Publicado

2021-03-29

Como Citar

de Castro Moreira, M. (2021). Sobreviver nunca foi nosso destino: quando um analisador potencializa outros olhares e práticas na intersecção entre a psicologia e a educação. Sul-Sul - Revista De Ciências Humanas E Sociais, 1(Especial), 96–117. Recuperado de https://revistas.ufob.edu.br/index.php/revistasul-sul/article/view/827

Edição

Seção

Número Especial 01 (2021) - Marielle Franco Presente!