Marielle Franco, a potência da insubmissão!

Autores

  • Andreia Ramos Teixeira Universidade Federal do Espírito Santo

Palavras-chave:

Cotidianos. Feminismo negro. Mulheres negras. Resistencia. Violência patriarcal.

Resumo

Este ensaio dialoga com os cotidianos de uma mulher negra em conexão com os seus primeiros contatos com a compreensão do que seria o feminismo negro a partir do entendimento do que é violência patriarcal em consonância com a potência de insubmissão da história de vida de Marielle Franco, que deixou sementes. Meus caminhos foram fortalecidos inspirado nas travessias insubmissas de mulheres negras como Carolina Maria de Jesus, Lélia Gonzalez, Beatriz Nascimento, Conceição Evaristo, Sueli Carneiro e Marielle Franco, mulheres negras que na sociedade patriarcal, classista e racista em que vivemos, nos revigoram a lutar cotidianamente contra todos os modos de opressão com comprometimento na luta anticolonial, antirracista, antipatriarcal, antiLGBTfóbica, e, e-e-e. Nesse sentido, acredito na responsabilidade coletiva com um projeto político feminista radical e libertador, que alargue os sentidos de democracia, igualdade e justiça social e racial no mundo em que vivemos e que nos revigore para continuamos lutando no coletivo por um mundo onde possamos viver em paz e com dignidade, praticando os movimentos feministas com amor revolucionário que pode mudar a vida de todes nós, trabalho de libertação mútua, de esperança e de alegria, que ecoa vida-liberdade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreia Ramos Teixeira, Universidade Federal do Espírito Santo

Professora substituta do Departamento de Teorias do Ensino e Práticas Educacionais do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo. Trabalha com as disciplinas de Educação das Relações Étnico-Raciais, Didática e Educação e Inclusão. Doutora em Educação pela Universidade de Sorocaba (UNISO/PPGE/CAPES) e Mestra em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes/PPGE/CAPES).

Referências

BENTO, Maria Aparecida Silva. Branqueamento e branquitude no Brasil. In: _____; CARONE, Iray (Orgs.). Psicologia social do racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 25-58.

CARNEIRO, Sueli. Escritos de uma vida. mulheres em movimento. Belo Horizonte: Letramento, 2017.

DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016.

DAVIS, Angela. Mulheres, cultura e política. São Paulo: Boitempo, 2017.

DAVIS, Angela. A liberdade é uma luta constante. São Paulo: Boitempo, 2018.

EVARISTO, Conceição. Prefácio. In: CARNEIRO, Sueli. Escritos de uma vida. Belo Horizonte (MG): Letramento, 2018.

EVARISTO, Conceição. Insubmissas lágrimas de mulheres. Rio de Janeiro, Malê, 2016a.

EVARISTO, Conceição. Olhos d’água. Rio de Janeiro: Pallas, 2016b.

EVARISTO, Conceição. Becos da Memória. Rio de Janeiro: Pallas, 2017a.

EVARISTO, Conceição. Histórias de leves enganos e parecenças. Rio de Janeiro: Pallas, 2017b.

EVARISTO, Conceição. Poemas da recordação e outros movimentos. Rio de Janeiro: Pallas, 2017c.

EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Rio de Janeiro: Pallas, 2017d.

FRANCO, Marielle. UPP a redução da favela em três letras: uma análise da política de segurança pública do estado do Rio de Janeiro. São Paulo: n-I edições, 2018.

GOMES, Nilma Lino. Educação, identidade negra e formação de professores/as: um olhar sobre o corpo negro e o cabelo crespo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.29, n.1, p. 167-182, jan./jun. 2003.

GOMES, Nilma Lino. Intelectuais negros e produção do conhecimento: algumas reflexões sobre a realidade brasileira. In: MENESES, Maria Paula; SANTOS, Boaventura de Souza. (Orgs.). Epistemologia do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.p.441-464.

GOMES, Nilma Lino. Educação, relações étnico-raciais e a Lei 10.639/03. 25/08/2011. Disponível em: <http://antigo.acordacultura.org.br/artigo-25-08-2011>. Acesso em: 6 abr. 2020.

HOOKS, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.

HOOKS, bell. Mulheres negras: moldando a teoria feminista. Revista Brasileira de Ciência Política, n.16. Brasília, jan./abr. 2015, p. 193-210.

HOOKS, bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. 4. ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019a.

HOOKS, bell. Olhares negros: raça e representação. Trad. Stephanie Borges. São Paulo: Elefante, 2019b.

HOOKS, bell. Erguer a voz: pensar como feminista, pensar como negra. Trad. Cátia Bocaiuva Maringolo. São Paulo: Elefante, 2019c.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. São Paulo: Ática, 2014a.

JESUS, Carolina Maria de. Diário de Bitita. São Paulo: SESI-SP editora, 2014b.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Trad. Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LORDE, Audre. Irmã outsider. 1.ed. Belo Horizonte: Autentica Editora, 2019.

RAMOS, Andreia Teixeira. Educação ambiental entre os carnavais dos amores com os mascarados do congo de Roda D’Água. 2013. 142 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória/ES, 2013.

RAMOS, Andreia Teixeira. Mulheres no congo do Espírito Santo: práticas de re-existência ecologista com os cotidianos escolares. 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Sorocaba, Sorocaba, 2018.

RAMOS, Andreia Teixeira. Narrativas autobiográficas de uma mulher negra: identidades sociais de raça e gênero. Travessias, Cascavel, v. 13, n. 3, p. 15-34, set./dez. 2019. Disponível em: http://www.unioeste.br/travessias. Acesso em: 17 mar. 2020.

RAMOS, Andreia Teixeira. Mulheres de Barro: análise fílmica de panelas, congo e amor. In: CAZÉ, Bárbara Maia Cerqueira (Org.). Mulheres negras na tela do cinema. Vitória: Pedregulho, 2020. p. 21-48.

ROMÃO, Jeruse (Org.). História da educação dos negros e outras histórias. Brasília: MEC/Secad, 2005

Downloads

Publicado

2021-03-29

Como Citar

Ramos Teixeira, A. (2021). Marielle Franco, a potência da insubmissão!. Sul-Sul - Revista De Ciências Humanas E Sociais, 1(Especial), 35–52. Recuperado de https://revistas.ufob.edu.br/index.php/revistasul-sul/article/view/835

Edição

Seção

Número Especial 01 (2021) - Marielle Franco Presente!